quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

.à morte.

Era um lugar qualquer, uma pessoa qualquer que se transformava em uma mistura inigualável de luz e magia. E foi assim que ela nasceu estrela. E brilhou até o fim do dia em que ela cresceu. Fim.

Triste, e quem se importa mesmo?

4 comentários:

Jaqueline Sales disse...

Tal como ela é, tive a sensação de que ela não está aqui, ainda que ela seja o tema. Difícil de entender o que eu disse, não foi? rsrsrsrsrsrsrs

BeijUuvooooooooooooosssss da Loba

luzdeluma disse...

Foi assim que me disseram quando era criança: as pessoas morrem e vão para o céu, viram estrelinhas. Não é triste! As estrelas não morrem! eu acho.

Boa semana! Beijus

gemini disse...

Triste, sim. E eu me importo!
A gte tem que ser feliz! =)
rs
Ok.

Rose Marinho Prado disse...

é, Isa,